Da criação do roteiro a filmagem – Parte 2

Nos bastidores de produção, é muito comum ouvir o chavão de que um filme ou vídeo institucional, nasce três vezes. A primeira, quando o roteiro ganha o papel. A segunda,quando é filmado. E a terceira, no momento em que termina a edição. Se alguma destas três etapas, acaba mal solucionada, o resultado obviamente termina comprometido. Obter a harmonia dos três processos, é um equilíbrio delicado. E para consegui-lo, exige-se um amplo planejamento de produção.

Antes de propriamente chegar as gravações, temos na Rush Vídeo uma lista inteira a preencher. A filmagem obedece um roteiro, um cronograma de produção, uma lista de equipamentos.

Esse planejamento muitas vezes envolve dias, a verificação é feita um dia antes da filmagem e reconferida na hora de carregar o carro. Após o check list, partimos para Piracicaba, no interior paulista, onde fica a sede da Sino Informática. A empresa ocupa uma casa ampla, os departamentos são subdivididos em salas grandes, por balcões e
baias, corredores longos desembocando em sala de reuniões e escritórios. Esse trajeto, no ir e vir, permitiu que delineássemos planos-sequências saindo de um ambiente para o outro e criando transições dinâmicas. Para fazer esses planos vertiginosos, dentro da nossa produtora de vídeo, buscamos sempre o equipamento mais leve e funcional. Na Rush Vídeo trabalhamos, portanto, com a Alpha 7 S da Sony, que é uma câmera ultraleve e de alta resolução (4K) e faz um jogo perfeito com o gimbal Zhiyun. O gimbal permite estabilidade de movimento e confiança nos planos de gravação. Mas nada disso seria factível se não fechássemos a composição, optando por uma lente 11 a 16 mm, que além de dar uma amplitude as salas e escritórios, não perde o foco de nada em cena.

A Sino Informática, como dissemos no artigo anterior, é uma empresa com know how em soluções de sistemas em Instituições Públicas, e para fortalecer a identidade visual da marca, o roteiro do vídeo institucional previa não apenas falar de história, posicionamento e objetivos. Fundamental na gravação das cenas era mostrar a variedade de serviços e seus atrativos. Por isso era necessário abrir nos monitores, telas e janelas para explicar a funcionalidade e a especificidade de cada ferramenta que o cliente oferece. A combinação entre uma câmera ágil, passando de setor a setor da empresa, para planos fixos de programas na tela, foi explorada com um ritmo bem atrativo na edição. Claro, foram quase uma hora e meia de material filmado, que após um processo de depuração, resultaram num vídeo institucional de cinco minutos.

Apesar de termos um conteúdo extenso, técnico e específico, criamos um vídeo com identificação rápida, clara e eficiente.

Rush Video – Ideias em Movimento

Comments are closed.